25/11/2008

NOSTALGIA...

Ah, velho Júlio, aos 65 anos ainda mantém uma aparência invejável para muitos homens da mesma idade. No entanto, o passar das décadas é sempre implacável, seja com as grandes estrelas ou os pobres mortais.

O grande ídolo das canções românticas já não é mais o mesmo. Anda com certa dificuldade, pernas bambas e pouco firmes que deixam claro que algo não vai bem com a saúde.

Mas ele faz questão de manter viva a atitude que fez dele um mito, o latin lover tão desejado pelas fãs.

Ao entrar na sala de imprensa, ocupou o ambiente com o vozeirão ainda forte, afinado!! Com um sorriso largo e jeito maroto, cumprimentou meia dúzia de jornalistas que aguardavam pela entrevista "exclusiva".

Cada uma das quatro emissoras presentes teria 8 minutos para perguntas e respostas. A entrevista poderia ser feita em um "bom portunhol", como bem definiu a assessora brasileira.

O salão do hotel que serviu de "stage" ficou mega-hipe iluminado.

Luzes, muitas luzes. Que quase nos derretiam. Exigência dos produtores de Julio Iglesias. Assim como as câmeras que ficariam obrigatoriamente a dez metros de distância do nosso entrevistado. E o enquadramento definido e "supervisionado" pela produção do artista, que não arredou o pé um só segundo do view -finder, a fim de assegurar que o plano da imagem só mostraria Julio Iglesias da cintura pra cima, com seu perfil direito.

Vaidade do cantor? Mostrar seu melhor ângulo. Esconder rugas e marcas deixadas pelo tempo? Com certeza!!! Comprometeu o resultado final do nosso trabalho. Mas era preciso respeitar as vontades da estrela. Tais exigências que beiravam o exagero foram compensadas pela simpatia do velho Julio. Muito educado, galanteador ao máximo, assanhadinho até. Cheio de perguntas sobre nossas vidas amorosas (éramos 4 mulheres repórteres a entrevistá-lo, cada uma com seus 8 minutos de exclusividade). E tivemos direitos a gracinhas, elogios, beijinhos, carinhos nas mãos.

Uma colega mais nova teve direito até mesmo a um selinho na boca, ahahaha! Assim que terminou a entrevista. Encantado com a moça, que se chama Manuela, nome de um dos grandes sucessos do cantor, ele avançou o sinal e deixou a pobre em uma baita saia justa!!!

Terminada a sessão de entrevistas, fomos todas pessoalmente convidadas por ele a participar do show, levar a família e etc. Em uma das poucas vezes que isso acontece, não pensei duas vezes antes de aceitar já pensando em como minha mãe ficaria feliz em assistir a um show do ídolo que cresci ouvindo.

Dito e feito, no dia seguinte lá estava eu, minha mãe, cunhada e mãe dela curtindo as baladas românticas do velho Julio!!

Nunca comprei um disco, mas foi interessante perceber como cada canção me era familiar. Conhecia cada uma delas e era capaz de acompanhar pelo menos os refrões.

No palco, ele esbanjou charme para fãs afoitas e ao lado das backing vocals, deu uma mostra do modelo "conquistador barato", mordendo e beijando as bochechas de uma das cantoras. O show durou quase duas horas!!

Fãs saíram do ginásio extasiados. Foi o último show da turnê no Brasil. Velho Julio não fala sobre o futuro. A voz continua linda, mas as pernas já não o acompanham tão bem pelo palco.

Pouco importa. O público, na maioria homens e mulheres na faixa dos sessenta anos, comemorou as quase duas horas de nostalgia. E foi comovente ver um casal com mais de 70 anos dançando uns passinhos logo à nossa frente.

Com certeza, a nostalgia também habita o coração do ídolo, saudoso dos velhos e bons tempos!!!

 

15:59 Écrit par Observatoire a dans Général | Lien permanent | Commentaires (5) |  Facebook |

05/11/2008

PEQUENAS ALEGRIAS DA SEMANA...

Receber em casa um livro* (delicioso) sobre como um gato mudou a vida de uma cidade americana e dois cds** de uma banda que você juraria nunca ouvir, no mais intenso estilo eletrônico, retrô, punk (o que nunca foi meu estilo, pois sou mais rock’n roll).

É...nestes dias que ando meio “jururu” fiz comigo mesma o compromisso de me mimar um pouco, me dar alguns presentes.

Me bajular e dizer: você merece o melhor, minha querida Mônica!!

Pra começar a lista, fui direto a duas coisas que adoro fazer: ler e ouvir música.

Como ando meio desanimada de bater pernas em shopping (é grave, pois sempre gostei muito de perder tempo no “leche-vitrine") ...

Mas enfim, a ocasião não tem sido das melhores para sair de casa e ver gente feliz enquanto eu e minha dor ainda batemos um longo e complexo papo diário.

Estou tentando convencê-la a ir embora, mas a danada veio de “mala e cuia’...então vamos ser hospitaleiras...

Mas enquanto isso, ainda nessa fase um pouco eremita, voltei a uma velha prática que adquiri em Liège quando fraturei a perna e ficava difícil sair de casa: COMPRAS PELA INTERNET!!

Já critiquei muito.

Aquele papo de se isolar, viver num mundo virtual, não sair de casa nem pras compras.

É...mas como o mundo é uma roda, a gente muda de idéia e em certas ocasiões é preciso dar o braço a torcer.

Em Liège fiquei meses sem andar depois que cai, literalmente, do cavalo.

Nessas últimas semana também cai do cavalo, mas num sentido mais figurado...ah...deixa pra lá...

O importante é que as compras foram um ótimo negócio.

O site da Fnac era meu parceiro inseparável. E como, infelizmente, ela ainda não abriu uma filial em Goiânia, teve de ser pela net mesmo.

Pra minha alegria, os cds e o livro vieram sem nenhum frete ou taxa de entrega e todos estavam na promoção. Enquanto na Saraiva (tanto loja física como site) os cd estavam a r$ 19,90, na Fnac saíram por R$ 15,00 cada!! Oba!!

E o livro que custaria R$ 24,90, saiu por r$ 19,90. Pode parecer pouco , mas faz a diferença.

Agora o melhor é quando passam-se os dias, vc esquece da compra e tchan, tchan...Quando vc menos espera, toca o interfone e está lá o pacote para vc se deliciar!!

Huuummm...devo ser boba, mas adoro isso!!

Primeiro cria-se aquela expectativa da chegada do presente, mesmo que vc já saiba o que é.

Depois vem o pacote, que pode chegar em 4, 5 ou 7 dias!!

Ahahaha!!Coisa de criança, alguns vão pensar!!!

Mas é isso ai.

Pequenas alegrias da semana para esquentar o coração, deixar os dias mais leves...coisas simples mas gostosas de fazer.

Minha lista segue.

Entre os próximos “presentes” estão um curso de fotografia e uma viagem (Buenos Aires encabeça 'as mais pedidas')!!!

E sobretudo, SONHAR, fazer planos, muuuuitos planos, pois é delicioso, mesmo que a gente jamais realize alguns.

NUNCA mais vou deixar que me digam que isso é bobagem. NUNCA!

 

 

 

*Dewey – um gato entre livros/ **Vive la fête – dupla belga

17:32 Écrit par Observatoire a dans Général | Lien permanent | Commentaires (7) |  Facebook |