19/12/2006

EXTREMOS

 

Outro dia, no salão fazendo as unhas me diverti muito com uma cena: chega ao local um casal com o filho que devia ter no máximo três anos de idade. Assim que eles estacionaram o carro em frente ao salão, uma das cabeleireiras começou a esconder todos os secadores de cabelo. Como assim?

É...acontece que o menino tem pavor do barulho dos secadores e é lá que os pais o levam para cortar os cabelos. Então, cada vez que o pequeno aparece por ali, correm com os secadores. Já foi motivo de sobra para eu cair na risada! Isso é que é levar às últimas o ditado que afirma que “o cliente tem sempre razão”!!

Bom, a família feliz adentrou o salão (um casal jovem e ao que tudo parece, é o primeiro filho). O pequerrucho parecia um reizinho, cheio das vontades e todas elas sendo satisfeitas a tempo e a hora...para conseguirem cortar a cabeleira do pestinha o pobre coitado do pai teve que ficar com ele no colo, sentado na cadeira do salão e sobre ele iam caindo os fios de cabelos (afff...).  E não parou por ai, não! A mãe e a pobrezinha da cabeleireira (essa merece um prêmio pela paciência e o saaaaco) desceram praticamente TODOS os produtos de beleza das prateleiras para o “lindinho” brincar. Cada coisa que ele apontava tinha que estar de imediato em suas mãos, senão o moleque abria o berreiro e dava um chilique (ah, se fosse filho meu !!!).

Eu sei que nessa brincadeira, fiz as unhas das mãos e dos pés, e a galera rebolando para cortar os fiapos de cabelos do guri (que se não fosse tão genioso, já haveria deixado o serviço acabar em meros vinte minutos). Fiquei pensando na situação daqueles pais, reféns do pequeno ditador. Claro, um gesto de amor, mas excesso de amor que não ensina para a vida...certamente, no futuro terão problemas...

Daí, vivenciei hoje o extremo oposto desta situação...uma mãe que nem mereceria o “título” tão nobre de MÃE - deveria ser chamada simplesmente de “parideira”...

Teve dois filhos, uma menininha de 5 anos e um garotinho que, hoje, aos oito anos, virou manchete nos jornais...parece mentira, mas o menino caiu num fosso de 6 metros de profundidade, enquanto brincava no quintal de uma chácara vizinha e ali ficou por oito dias. Frio, fome, sede e medo marcaram estes oito dias num buraco escuro...

Sagaz, quando viu que não conseguiria sair dali sozinho, o garoto lançou a camiseta, meias e os tênis para fora do buraco, afim de chamar a atenção de alguém. E foi o que lhe salvou a vida...o dono da chácara, na manhã do último sábado resolveu cuidar de umas plantas e viu as roupas, que acabaram por leva-lo até o pequeno Matheus, já bastante debilitado...

O menino, de família pobre e humilde, contou que para sobreviver bebeu água da chuva (está chovendo sem parar por estas bandas) e faminto, comeu capim, raízes de capim e até terra...o frio era outro problema, já que estava apenas com uma bermuda e tomando muita chuva...para amenizar, ele se cobria com a terra do fundo do poço...gritar por socorro ele já não conseguia mais...estava muito fraco para isso e a casa mais próxima fica a 200 metros do buraco...Os pés e as mãozinhas carregam marcar de feridas das inúmeras tentativas de sair do fosso...a pele, praticamente se desmancha devido ao tempo que ficou exposto à chuva...

Quando o dono da chácara o encontrou, pensou que havia encontrado um cadáver, tamanha a magreza da criança, que nem se movia direito...é um fato me marcou muito: a criança estava tão refém daquele pesadelo que quando viu esse senhor, no lugar de pedir para sair dali, suplicou apenas por comida, como se já estivesse onformado com a “ prisão “ naquele buraco escuro e frio...

Mais impressionante que isso foi a atitude dos pais: durante os oito dias em que o filho esteve desaparecido, nem um dos dois procurou a polícia, ou acionou quem quer que fosse para procurar a criança...frieza...

Levado para o hospital no sábado, ainda hoje quando fiz a matéria, o menino não havia sequer recebido a visita dos pais, um carinho da família, nada. Não fossem os médicos, enfermeiros e conselheiros tutelares,estaria ali, sozinho depois de tamanho pesadelo...os pais, descobriu-se agora, são alcoólatras e o menino vivia em situação de abandono...deverá ser encaminhado - junto com a irmãzinha – à uma família substituta. Que ele consiga ali um pouquinho mais de atenção e amor...triste, triste, triste...é tudo o que eu consigo dizer...

01:43 Écrit par Observatoire a dans Général | Lien permanent | Commentaires (7) |  Facebook |

Commentaires

Duas situações antagonicas ao extremo não é,MONICA.
Os pais do primeiro não sabem o mal que estão fazendo. Este garoto vai dar muito trabalho no futuro e todos no´s sabemos que tipo de adulto ele sera.
Qto ao segundo... ,meu Deus!!
A vontade inicial que eu tive era de adotar o guri.
Será um exemplo de sêr humano.

Adoraria conferir isto.

Beijão!!

Écrit par : DO | 19/12/2006

Olá, vom do blog do DO. Essa história do menino é profundamente cruel. Há um ano abanonaram uma menina de oito meses em um galinheiro. A sorte da bebê foi uma menina de quatro anos encontrar e achar que era uma boneca. A bebê foi protegida pelo Conselho Tutelar, para evitar que voltasse para a família (a mãe, que quase apanhou da vizinhança). Virou caso sigiloso, porque a mãe quer recuperar a criança e o parecer do Conselho é a adoção por outra família, tamanho foram os maus tratos que a bebê sofreu. Vamos esperar que o Conselho Tutelar ganhe força persuasiva no país.

Écrit par : Simone | 19/12/2006

Monique !

Que história triste a desse menino ! Que crueldade !
Tomara que essa família subsituta possa oferecer carinho que o faça deixar esse trauma bem longe...
Às vezes me pergunto o porquê de alguns inocentes terem de sofrer tanto...

Bem, espero que neste Natal impere saúde, prosperidade, amor e paz. Que o Deus-Menino caia como benção indistintamente sobre todos !

Bjs,

Susana

Écrit par : Susana Jas | 22/12/2006

:( oi querida..poxa..tinha visto so um pedaco na tv sobre isso..que triste..mas espero de todo coracao que eles encontrem pessoas que possam ser pais verdadeiros.....

e a menina de 3 anos q foi ao dentista e morreu... muito triste.

Monica..um natal de muito amor e felicidade pra vc!! bjs

Écrit par : cristiani | 22/12/2006

MOni, Espero que 2007 nos traga noticias mais amenas quanto ao trato com as criancas e os animais!
Feliz Natal pra vc e um ano novo com mais amor e humildade para todos nos!
Um abraco bem grande

Écrit par : ana | 24/12/2006

Um NATAL muito feliz a vc e aos seus,MONICA.
Beijão!

Écrit par : DO | 24/12/2006

Feliz AnoNovo!

Écrit par : Simone | 28/12/2006

Les commentaires sont fermés.