14/06/2005

MAIS UMA CONTAGEM REGRESSIVA...

Bom, a contagem regressiva No. 1 (a do show do U2) chegou ao fim! Agora minhas atenções estão voltadas para o que posso chamar de  Contagem Regressiva No. 2, que é da defesa da minha tese. Ela está prevista para o final de semana que vem e é, sem dúvida, o fato mais importante e decisivo entre todos...aos poucos vou me preparando (sobretudo psicologicamente) para enfrentar as “feras” (leia-se professores, ehehe)...e dando uma revisada no assunto.

Para aqueles com quem ainda não falei sobre o assunto, o tema da minha tese é o partido de extrêma direita francês (o Front National) e a mídia televisiva. Tento demonstrar como a televisão colaborou com a ascenção deste partido em abril de 2002, quando o líder xenófobo, racista e ultra nacinalista Jean-Marie Le Pen foi parar no segundo turno das eleições presidenciais (junto com Chirac) e deu o maior susto nos eleitores. O tema é apaixonante e foi prazeroso descobrir em cada detalhe de que forma, mesmo que involuntariamente, as reportagens - que na época mostravam um país “supostamente” à beira do caos, invadido pela violência e esta mesma violência sempre relacionada aos imigrantes - acabaram favorecendo o FN. Claro que o avanço de partidos de extrêma direita em toda a Europa não se explica exclusivamente pela mídia (embora ela seja um fator remarcável). Existe ai uma série de fatos como a crise econômica, o aumento do desemprego e a concorrência “a qualquer custo” com os mercados estrangeiros. No entanto, percebe-se a recorrência a explicações simplistas, como responsabilizar os estrangeiros por todos os problemas de uma nação. É mais fácil fazer isso, criar bodes expiatórios, do que procurar entender as verdadeiras razões, mais complexas. 

Antônio Inácio Andrioli, doutor em ciências sociais pela Universidade de Osnabruck, na Alemanha, dá um ótimo exemplo sobre o assunto. Em um artigo ( http://www.espacoacademico.com.br/013/13andrioli1.htm ) ele cita dados de um estudo realizado pela Organização das Nações Unidas, em 2001, que explica que para amenizar os efeitos da baixa taxa de natalidade em países europeus (o que gera uma sociedade “velha” e com cada vez menos mão de obra efetiva), “cerca de 1,5 milhão de estrangeiros teriam de imigrar para a Europa a cada ano. E para manter constante a proporção entre trabalhadores e pensionistas seriam necessários 13,5 milhões de imigrantes por ano”. Porque é óbvio, quem paga os direitos (mais do que merecidos) dos pensionistas e aposentados é a massa trabalhadora.

Claro que esta migração deve ser controlada e acompanhada pelo governo de cada país, para evitar a vinda de pessoas que acabarão marginalizadas na sociedade. Mas enquanto faltar vontade política para regulamentar o processo de forma eficiente e conter as entradas clandestinas de imigrantes ( geralmente patrocinadas por “espertinhos” que buscam a exploração da mão de obra barata de infelizes que são capazes de tudo para fugir da miséria que os assola em seus países de origem) as coisas continuarão na mesma. E o que é mais grave, dando espaço a esta ignorante intolerância entre nacionalidades e etnias - para mim, o sentimento mais desprezível que algum ser humano pode cultivar...

 

P.S.: Voltando ao tema das “contagens regressivas”, a próxima será referente ao meu retorno ao Brasil, que ainda não tem data marcada. É que ando tendo uns probleminhas para reservar as passagens. No problem, todo o tempo a mais por aqui será muito bem aproveitado!


11:16 Écrit par Observatoire a | Lien permanent | Commentaires (4) |  Facebook |

Commentaires

Ja estou com saudades... Nossa amiga, so em pensar que logo vc esta indo e vamos perder mais uma blogueira especial...espero que vc ache um tempinho para continuar nos dando noticias do Brasil ou quem sabe vc nao resolve voltar para a Europa???..o mundo da volta e voltas, ne!!...mas quanto a sua tese, o assunto e bem complicado para mim, mas com certeza vc conhece muito bem cada detalhezinho...defender tese nao e facil, mas vc vai dar "show de bola" na apresentacao...boto fe e torco por vc!!!....beijos e tenha um otimo dia ao lado de quem vc ama...

Écrit par : Kelly Solheim | 14/06/2005

oi Poxa,Monica,gostei de saber o tema da sua tese.
Gosto muito de politica e certamente me apaixonaria pelo seu trabalho. Concordo com vc que as vitórias da direita não devem ser menosprezadas apenas por causa da mídia... A questão é muito mais complexa. Aliás,aqui no Brasil,acho que estamos no mesmo caminho.
Beijo grande!!

Écrit par : DO | 14/06/2005

Ah ê... Até que enfim eu descobri sobre o que você estava falando na sua tese... acho que eu já tinha perguntado, e ou você não respondeu, ou eu esqueci a resposta! Hehehe...
Muito interessante o assunto!!! Gostei... já sabe a data certa da defesa?
Se for nesse final de semana, MUITA BOA SORTE!!!! E TENHA CONFIANÇA EM VOCÊ...
Beijos...

Écrit par : Tolee | 17/06/2005

Legal! Muito interessante o tema da sua tese! Eu me lembro que vi notícias sobre a ascensao de Le Pen nas pesquisas de intenção de voto, e o medo de que ele ganhasse as eleiçoes.Mas eu fiquei curiosa: qual o interesse da televisão francesa em apoiar esse partido de extrema direita?

Écrit par : Priscila | 17/06/2005

Les commentaires sont fermés.